Go to main content
 

EOSC. Colocar a Europa na vanguarda da economia dos dados

EOSC. Colocar a Europa na vanguarda da economia dos dados

EOSC

Conheça os passos dados em Portugal, e na Europa, rumo à concretização da European Open Science Cloud (EOSC) – uma iniciativa que visa colocar a União Europeia na liderança global no campo dos dados de investigação, garantindo benefícios a quase 2 milhões de cientistas europeus.

 

O processo de criação da EOSC começou em 2015 com um objetivo claro: criar um ecossistema de armazenamento e processamento de dados que apoie a Ciência europeia. Nesse sentido, o EOSC prevê a criação, até 2025, de um ambiente virtual, internacional e multidisciplinar que inclui serviços abertos e sem interrupções para o armazenamento, gestão, análise e reutilização de dados de investigação.

De forma a garantir esta versatilidade, a infraestrutura de dados europeia prevista pela EOSC inclui soluções cloud de alta capacidade, bem como ferramentas de supercomputação e de inteligência artificial. Espera-se ainda que esta estrutura seja ampliada, através da sua abertura gradual ao setor público e à indústria. “A EOSC vai unir agentes institucionais, nacionais e europeus, iniciativas e infraestruturas de dados para desenvolver um ecossistema inclusivo de Ciência Aberta na Europa”, explica a Comissão Europeia, na página institucional do projeto.

A Comissão Europeia prevê que o impacto deste esforço se traduza em benefícios para cerca de 1.7 milhões de investigadores europeus e 70 milhões de profissionais de Ciência. Num dos passos mais importantes dados neste sentido, em fevereiro de 2020, a Comissão lançou a estratégia europeia de dados que define o EOSC como a peça central de um espaço aberto de dados para inovação e investigação.

A iniciativa EOSC integra o ciclo 2021-2027 do programa de financiamento para a inovação da Comissão Europeia “Horizon Europe”, sendo que está prevista a disponibilização de serviços EOSC aos investigadores europeus até 2025. Contudo, o impacto da EOSC já se faz sentir, nomeadamente no contexto atual de pandemia, ao acelerar o acesso e a partilha de dados de investigação através da recém-criada plataforma europeia de dados de investigação COVID-19.

 

A EOSC em Portugal

Prevê-se que esta iniciativa europeia tenha um impacto profundo nas comunidades de investigação nacionais, uma vez que tanto os fornecedores de serviços nacionais de dados de investigação como as instituições que os utilizam para fazer Ciência terão de se alinhar com a EOSC. Em Portugal, a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, através da Unidade FCCN, tem vindo a desenvolver esforços neste domínio.

A estratégia da FCT para a adoção do EOSC a nível nacional está centrada nos eixos de políticas e regulamentos, serviços para apoiar a adoção à EOSC e atividades de comunicação, disseminação e formação. Um resultado visível deste esforço é a inclusão da vertente da gestão de dados de investigação no recente concurso de ciência dos dados promovido pela FCT.

Paralelamente, a Unidade FCCN tem vindo a promover a gestão de dados e o EOSC junto da comunidade RDA-pt e fórum GDI, bem como junto das infraestruturas do roteiro. Por outro lado, a participação no projeto H2020 EOSC-Synergy resultou na realização de uma análise aprofundada sobre as políticas, práticas e estratégias relacionadas com a EOSC em Portugal.

Desde outubro de 2020, a FCT é a organização mandatada para representar os interesses de Portugal no seio da associação EOSC, sendo representada pelo delegado nacional João Mendes Moreira.

Para saber mais sobre a EOSC, visite: https://www.eosc-portal.eu/