Go to main content
 

“O Ciência Vitae permite criar, gerir e promover o CV de forma rápida e simples”

“O Ciência Vitae permite criar, gerir e promover o CV de forma rápida e simples”

joao mendes moreira

O Diretor da Área do Conhecimento Científico da Unidade de Computação Científica Nacional, João Mendes Moreira, explica as principais características do CIÊNCIAVITAE – o sistema nacional de gestão curricular de ciência que dá agora os primeiros passos, rumo à criação de um ecossistema integrado de informação sobre a atividade científica e tecnológica.

Como pode descrever o projeto CIÊNCIAVITAE?

O CIÊNCIAVITAE é o sistema nacional de gestão curricular de ciência, assumindo-se como elemento central no ecossistema de gestão da informação sobre a atividade científica e tecnológica. É também uma ferramenta de suporte à modernização dos processos administrativos suportados por um CV.

Cumprindo-se como espaço privilegiado de relação entre o cidadão e a ciência, este sistema agrega informação atualmente dispersa em múltiplas plataformas. Esta agregação é realizada de forma simples, harmonizada e estruturada, respeitando as especificidades das áreas científicas e consagrando os princípios da liberdade e da responsabilidade na gestão e na apresentação do currículo.

A plataforma utiliza mecanismos de importação e preenchimento automático dos dados curriculares, assegurando o princípio de reutilização da informação (introduzir uma vez, reutilizar múltiplas), em direta articulação com o Ciência ID. A plataforma é ainda integrável com vários sistemas e identificadores nacionais e internacionais.

Em que contexto se insere esta iniciativa?

O CIÊNCIAVITAE está fortemente relacionado com o PTCRIS – o programa que visa a criação e o desenvolvimento sustentado de um ecossistema nacional integrado de informações de apoio à gestão da atividade científica. No âmbito da estrutura geral do programa “Mais Ciência, Menos Burocracia”, o PTCRIS corresponde às duas primeiras camadas: standards e infraestruturas (Imagem 1).

Pode fornecer-nos um exemplo prático da articulação entre os dois sistemas?

Consideremos o seguinte exemplo. O programa PTCRIS estabelece que o standard para identificar uma organização é um determinado código internacional. Nesse sentido, disponibiliza uma base de dados mundial com a lista destas organizações. Este código universal deve passar a ser utilizado por todos os sistemas do ecossistema. No caso em apreço, o CIÊNCIAVITAE vai utilizar o código estabelecido para referenciar a organização e a base de dados disponibilizada. O PTCRIS forneceu, assim, uma componente infraestrutural ao CIÊNCIAVITAE. O mesmo se passa com outros componentes.

A quem e em que situações pode o CIÊNCIAVITAE ser útil?

O CIÊNCIAVITAE destina-se a todos aqueles, portugueses ou estrangeiros, que atuam no contexto académico e de investigação em Portugal. Esta plataforma permite criar, gerir e promover o CV de forma rápida e simples. As principais vantagens da utilização desta plataforma de gestão curricular são: a criação de um currículo único (partilhado pelos diferentes intervenientes do sistema académico-científico nacional); a redução da carga administrativa sobre o utilizador (e o esforço em tarefas de validação/certificação por parte de múltiplos organismos); a personalização do CV (o utilizador escolhe como, quando e o que quer partilhar); a possibilidade de “exportar curriculum” (criando múltiplas versões do currículo adequadas às diferentes necessidades); a criação de conteúdo personalizável (e de vários formatos de documento); a integração com outros sistemas como o ORCID ou o FCT|SIG possibilitando a reutilização da informação que já tenha colocado nestes sistemas para construir o seu currículo); e ainda a promoção do CV, tornando-o público (outros utilizadores poderão encontrá-lo através da funcionalidade “Encontrar CVs”).

Qual a visão de futuro para este projeto? Quais os próximos passos?

A visão de futuro para o CIÊNCIAVITAE assenta em diversos pilares. O primeiro está relacionado com as atividades de comunicação, disseminação, formação e suporte, de forma a permitir o crescimento orgânico e sustentado do sistema. A este respeito aproveito a oportunidade para informar os leitores sobre a oferta formativa, os tutoriais e as perguntas frequentes.

O segundo está relacionado com a afirmação do sistema, quer na Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), quer no panorama científico e tecnológico nacional. O CIÊNCIAVITAE foi lançado a 26 de setembro de 2018. Nos próximos meses, por forma a mitigar o impacto inerente à introdução de um novo sistema, ele coexistirá com o FCT-SIG CV. Durante o verão de 2019, contudo, o CIÊNCIAVITAE deverá passar a ser o único sistema de gestão curricular da FCT.

Por outro lado, é esperado que este sistema passe a ser utilizado por outros agentes ecossistema de ciência e tecnologia (tais como a A3ES, DGES, DGEEC, COMPETE2020 e ANI). No dia do lançamento, foram assinados protocolos de colaboração com estas entidades, pelo que é necessário operacionalizar a colaboração entre sistemas e entidades. De referir ainda que, no domínio da integração, também foram iniciados trabalhos entre a Informação Empresarial Simplificada (IES) e a FCT.

O terceiro pilar está relacionado com o desenvolvimento de novos módulos, tais como o módulo institucional (com o propósito de permitir às instituições uma visão integrada dos seus utilizadores), o de business intelligence (com o propósito de permitir a análise de diversos indicadores) ou o de descoberta (que permitirá explorar e co-relacionar informação curricular). Por último, será realizada a otimização contínua do serviço e o desenvolvimento de funcionalidades adicionais. O plano de trabalhos terá de ser adequado aos recursos existentes, no sentido de maximizar o impacto e de ser desenvolvido em conjunto com a comunidade.