Passar para o Conteúdo Principal
 

Jornadas da Computação Científica: novos recordes, a mesma ligação

Jornadas da Computação Científica: novos recordes, a mesma ligação

O ponto de encontro da comunidade servida pela FCCN incluiu 27 sessões e 36 oradores, em três dias de trabalho. 

Ainda antes de começarem os trabalhos, já a edição de 2018 das Jornadas da Computação Científica estabelecia um novo recorde: o maior número de inscrições, desde a primeira edição, em 2013. Em 2018, registaram-se 500 inscrições, representando um crescimento de 28%, face a 2017.

Depois de se realizarem em Santarém, Évora, Lisboa, Faro e Vila Real, as Jornadas da Computação Científica viajaram agora até Braga, para o International Iberian Nanotechnology Laboratory (INL), juntando centenas de representantes de instituições e entidades servidas pela FCCN, entre os dias 11 e 13 de abril.


Desta forma, durante três dias – e ao longo de 27 sessões – foi possível conhecer as novidades mais recentes relativas a cada um dos projetos e serviços garantidos por esta unidade da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Por outro lado, esta foi também uma forma das comunidades de investigação e ensino nacionais se reunirem, com o objetivo de estreitar ligações, bem como de partilhar conhecimento e boas-práticas.

Essa foi mesmo uma das ideias presentes na intervenção da Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo, durante o segundo dia das jornadas, ao realçar a importância deste momento enquanto forma de aproximação da comunidade académica e científica, numa lógica de “ciência aberta”.

Ao longo dos três dias, destaque ainda para outras iniciativas como o “Manda Lá o Bityte”, dinamizado por uma equipa de estudantes do Instituto Universitário da Maia – ISMAI. Nesta atividade, os participantes foram desafiados a partilhar, de forma criativa, um testemunho sobre as Jornadas da Computação Científica. A vitória acabaria por sorrir a Inês Martins, do ISCTE.