Passar para o Conteúdo Principal
 

Rede eduroam em crescimento

Rede eduroam em crescimento

Desenvolvida para a comunidade internacional de investigação e educação, a rede eduroam é uma rede wi-fi mundial, acessível em 85 países. O Tajiquistão é um dos países mais recentes a juntar-se à família eduroam.

Esta rede tem-se expandido entre países e fora dos campus universitários, para apoiar a mobilidade global para académicos, estudantes e investigadores.

De acordo com um relatório recentemente publicado no site eduroam.org, as estatísticas mais recentes do serviço mostram aumento, em 2017, de 18% nas autenticações internacionais e um aumento de 21% nas autenticações nacionais no ano anterior.

Em 2017, o sistema eduroam AuthN registrou mais de 3,6 mil milhões de autenticações nacionais (onde usuários de outra instituição no mesmo país autenticam seu acesso WiFi via eduroam) e mais de 834 milhões de autenticações internacionais.

Após uma implementção bem sucedida da eduroam em sete países da Ásia: Butão, Indonésia, Malásia, Nepal, Paquistão, Filipinas e Sri Lanka, está presentemente a ser implementado um projeto financiado pela Trans-Eurasian Information Network (TEIN), para colocação de eduroam em mais países do mundo, na região Ásia-Pacífico, ampliando ainda mais o alcance deste serviço. O projeto é liderado pela AARNet (Rede Académica da Austrália) e envolve engenheiros de rede de diversas NRENs (redes nacionais de investigação) dos novos países participantes para fornecimento do know-how necessário e suporte contínuo para implementação e gestão da rede.

A vantagem do serviço eduroam é o facto de oferecer a milhões de estudantes, investigadores e académicos, mobilidade entre as infraestruturas sem fio das instituições participantes, através das credenciais da instituição de origem.

A rede eduroam está atualmente disponível em mais de 12.000 locais em todo o mundo, incluindo campus universitários, aeroportos, hospitais, transportes públicos, escolas, museus e outros.

Em Portugal o acesso ao serviço é garantido através da Unidade de Computação Científica Nacional.