Passar para o Conteúdo Principal
 

Conhecidos os vencedores do Prémio Arquivo.pt 2019

Conhecidos os vencedores do Prémio Arquivo.pt 2019

Segunda edição do prémio que distingue três utilizações inovadoras da informação preservada pelo Arquivo da Web Portuguesa. 

 

Foi o primeiro-ministro António Costa que anunciou os vencedores. O momento inseriu-se na sessão de abertura do Encontro Ciência 2019, no dia 8 de julho, no Centro de Congressos de Lisboa.

 O primeiro prémio, no valor de 10.000€, foi atribuído a Arian Pasquali, Nuno Moniz e Tomás Amaro, enquanto equipa responsável pelo desenvolvimento da aplicação meuParlamento.pt. Esta aplicação convida todos os cidadãos e cidadãs a vestirem o papel de deputado, simulando o plenário da Assembleia da República.

As decisões colocadas ao utilizador são as que foram tomadas no Parlamento durante a última década. “Desenvolvemos esta ideia com o objetivo de aproximar os cidadãos das decisões tomadas no nosso Parlamento, e de dar a conhecer toda a informação necessária para contextualizar esses dados”. revelam os autores, na descrição oficial do projeto.

 

É precisamente nesta dimensão informativa que o Arquivo.pt se mostra essencial. Este arquivo foi utilizado como “fonte única” para “recolher as propostas legislativas e seus metadados”, demonstrando o potencial do Arquivo.pt “enquanto repositório de memória coletiva”, acrescentam os autores.

 

Rever a revisão

 

O segundo prémio foi atribuído ao projeto Revisionista.pt, uma plataforma que sinaliza as alterações pós-publicação nas notícias portuguesas. De acordo com os autores Flávio Martins e André Mourão, esta é “uma plataforma de análise global da imprensa portuguesa, com base no processamento de grandes quantidades de notícias dos jornais online”.

 Os investigadores – que recebem agora 3.000€ de prémio – acrescentam ainda que “este trabalho não seria possível sem o Arquivo.pt, pois foi utilizado como a fonte de todos os dados recolhidos”. Para realizar este trabalho, foram recolhidas 139561 artigos do Arquivo da Web Portuguesa. “Dos quais 6793 artigos foram editadas mais do que uma vez”, realçam.

 

A análise de notícias publicadas foi também o âmbito do trabalho de Zélia de Macedo Teixeira, no âmbito da sua investigação “Discursos públicos sobre a violência em privado”. A investigadora (que recebe agora 2.000€) recolheu, recorrendo ao Arquivo.pt, 217 notícias (publicadas nos três principais jornais diários) sobre violência doméstica.

 Na descrição submetida, Zélia Macedo Teixeira destaca que a forma como os média veiculam os eventos de violência doméstica “os tornam construtores potentes do conhecimento e do comportamento dos indivíduos”, reafirmando o seu “poder politico/social para mudanças efectivas nas sociedades”.

Este ano o prémio Arquivo.pt recebeu um total de 23 candidaturas, estando já em preparação a 3ª edição, cujo período de candidaturas decorrerá entre janeiro e maio de 2020.

 

O Prémio Arquivo.pt tem como objetivo galardoar anualmente trabalhos inovadores realizados com base na informação histórica preservada pelo Arquivo.pt. O concurso terminou a 3 de maio e recebeu propostas de trabalhos em áreas como: comunicação social, educação, design, informática, saúde ou património cultural e histórico. O Prémio Arquivo.pt 2019 contou com o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa.

 

Para saber mais consulte a página dedicada ao Arquivo.pt.