imagem de destaque

Nova versão do guia para gestão de dados de investigação, da associação Science Europe, passou a incluir critérios de elegibilidade de repositórios confiáveis, bem como orientações para investigadores e reviewers.

A associação de organizações que financiam a investigação científica na Europa – Science Europe – atualizou o seu Guia Prático para o Alinhamento Internacional na Gestão de Dados de Investigação. A primeira versão deste documento foi publicada em janeiro de 2019, sendo adotada por várias organizações, incluindo a Comissão Europeia. A nova versão, explica a Science Europe, na introdução deste guia, pretende “apresentar uma versão ampliada deste guia”, com um foco especial na avaliação de plataformas de gestão de dados.

Uma das principais novidades da nova versão está relacionada com a inclusão de critérios que qualificam repositórios como sendo “confiáveis”, bem como boas práticas e orientações neste campo. Esta nova informação é vista como sendo de importância estratégica para organizações e investigadores, destaca a Science Europe, “auxiliando na identificação de repositórios para armazenar e partilhar dados”.

Garantir o acesso a dados é um dos pilares da investigação científica sólida e reproduzível”, destaca o guia, que detalha três tipos de critérios para a seleção de repositórios confiáveis – a disponibilização de identificadores persistentes (PID), boas práticas relacionadas com metadados e ainda a garantia de integridade e preservação dos dados, bem como de boas práticas de licenciamento confidencialidade.

Recorde-se que, em Portugal, a Unidade FCCN da FCT tem competências na definição de políticas de Ciência Aberta, participando em grupos de trabalho centrados em temas como o acesso a publicações ou a gestão de dados de investigação.

Pode consultar a versão completa do guia aqui.

Outros artigos relacionados