imagem decorativa

Serviço disponibilizado pelo RCAAP – Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal registou “números muito animadores” no primeiro trimestre de  2022.

O Repositório Comum, serviço disponibilizado pelo RCAAP, alcançou no primeiro trimestre de 2022 mais de 34 mil documentos. Trata-se de um repositório que se destina a instituições do sistema científico nacional que não possuam um repositório institucional próprio, permitindo-lhes dar visibilidade à própria instituição, à sua produção científica, garantir o fácil acesso fácil conteúdo científico e preservar a sua produção.

Através deste serviço gerido pela Unidade FCCN , os investigadores podem armazenar e tornar acessível a sua produção científica (artigos publicados, comunicações aceites e publicadas em conferências, teses de doutoramento e dissertações de mestrado aprovadas na instituição, entre outros).

De acordo com os dados da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC), no final do mesmo período,  a taxa global de cumprimento do depósito de teses e dissertações no Repositório Comum atingiu os 83,16%

Este valor realça a importância que o Repositório Comum assume no que diz respeito ao cumprimento do depósito legal de Teses e Dissertações.

Com 90 instituições aderentes, o Repositório Comum tem vindo a registar um crescimento muito significativo no número de downloads, ao longo da última década. 2021 foi mesmo o ano que registou o número recorde nesse particular, com cerca de 3 milhões de downloads.

No seu blog, o RCAAP classifica estes números como “muito animadores”, tendo em conta que este é “um serviço partilhado”, destacando o “empenho de cada uma das instituições”. Pode saber mais sobre o Repositório Comum no site: https://comum.rcaap.pt/

Outros artigos relacionados