imagem decorativa

No dia 23 de junho, a Comissão Europeia e a Associação EOSC assinaram um memorando de entendimento com vista à implementação da plataforma European Open Science Cloud. Saiba por que razão este passo é visto como central na concretização da visão europeia de Ciência Aberta. 

Garantir uma plataforma de dados de investigação comum, onde a informação é pesquisável, acessível, interoperável e reutilizável é o objetivo final do EOSC – European Open Science Cloud.

Desta forma, destaca a associação EOSC, criada em 2020 para implementação desta plataforma, será possível promover uma ciência “interdisciplinar e impactante no contexto da era digital”. 

Os objetivos da iniciativa são convergentes com a visão da Comissão Europeia para a implementação de uma política de Ciência Aberta no continente. Como tal, foi assinado no dia 23 de junho, em Bruxelas, um memorando de entendimento que consagra uma parceria entre a associação e Comissão Europeia. 

O documento garante que, até 2030, existirá uma abordagem coordenada da Comissão Europeia e dos seus estados-membros nos investimentos e iniciativas relativos ao ecossistema EOSC, no âmbito do quadro Horizon Europe. 

A associação destaca como esta parceria reforça a política europeia de Ciência Aberta, podendo gerar “capital de confiança em processos de investigação capacitados digitalmente e mais abertos” cujas mais-valias dizem respeito não só aos cientistas mas também para toda a sociedade. “A EOSC oferece uma infraestrutura que procura transformar a Ciência Europeia”, destacam. 

O acordo foi assinado pela Comissária Europeia da Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, Marya Gabriel, que considera que o projeto EOSC vai permitir “aos investigadores encontrar, criar, partilhar e reutilizar formas de conhecimento digital”, que levarão a “novas pistas e inovações”, bem como “maior produtividade e reprodutibilidade”.

Já o presidente, Karel Luyben, vê neste acordo “a criação de um caminho para a implementação da EOSC” que contribuirá para “uma ciência mais eficiente, reprodutível e confiável, mais relevante para as necessidades da sociedade que, por sua vez, estará cada vez mais envolvida”. 

Recomendamos a consulta ao comunicado para ficar a saber mais.

A EOSC e Portugal

Prevê-se que a EOSC tenha um impacto profundo nas comunidades de investigação nacionais, uma vez que tanto os fornecedores de serviços nacionais de dados de investigação como as instituições que os utilizam para fazer Ciência terão de se alinhar com esta iniciativa europeia.

Em Portugal, a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, através da Unidade FCCN, tem vindo a desenvolver esforços neste domínio. Desde outubro de 2020, a FCT é a organização mandatada para representar os interesses de Portugal no seio da associação EOSC, sendo representada pelo delegado nacional João Mendes Moreira.

Consulte ainda o trabalho na área da Transformação Digital na Investigação que a FCCN está a desenvolver, com vista a reforçar investimento na área da ciência aberta a nível nacional, em particular na gestão de dados de investigação.

Outros artigos relacionados