imagem decorativa

Em 2021 a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), através da Unidade FCCN, voltou a distinguir trabalhos inovadores de investigação sobre a informação preservada pelo Arquivo.pt, com um total de 15.000€ em prémios. Três trabalhos foram distinguidos pela forma como utilizam a informação histórica preservada por este serviço. Saiba mais sobre cada um dos projetos.

Os vencedores da 4ª edição

Já são conhecidos os grandes vencedores da edição de 2021 do Prémio Arquivo.pt – o galardão que distingue trabalhos inovadores que são baseados na informação acessível através deste serviço da Unidade FCCN e que preserva milhões de páginas recolhidas da web desde 1996. Na sua 4a edição, este prémio tem como objetivo demonstrar a utilidade do Arquivo.pt, bem como reforçar a importância da preservação da informação publicada na web.

Arquivo.pt
Cartaz do Prémio Arquivo.pt 2021


1.º Prémio | Major Minors

O grande vencedor da edição de 2021 foi o projeto “Major Minors”, de Paulo Martins e Leandro Costa, garantindo um prémio no valor de 10.000€. A plataforma criada por estes investigadores da Universidade do Minho tem como objetivo mapear a representação de grupos minoritários no panorama mediático português. Para tal, “Major Minors” consiste numa base de dados ontológica que agrega recortes de imprensa com referência a minorias sociais. “Futuramente, gostávamos de expandir [a plataforma]”, referiu Paulo Martins ao jornal Público, aludindo à possibilidade de replicar o conceito para outras questões ou aplicações.

Vencedor do Prémio Arquivo.pt 2021


2.º Prémio | Politiques

A ferramenta “Politiques”, criada por David Batista, foi distinguida com o segundo prémio (no valor de 3.000€). O trabalho consiste numa plataforma que permite pesquisar relações de apoio ou oposição entre personalidades e partidos políticos. Estas ligações são estabelecidas através da análise de títulos de notícias preservadas no Arquivo.pt. De acordo com o autor, a base de dados inclui cerca de 1400 personalidades portuguesas afiliadas a partidos políticos e com cargos públicos em Portugal, entre outras. “Pensei que o Arquivo.pt tinha imensos dados e que estava aberto o concurso”, contou ao Público David Batista, explicando a origem do projeto.


3.º Prémio | Primeiras páginas de jornais online portugueses

O terceiro prémio foi atribuído ao trabalho “Primeiras páginas de jornais online portugueses”, da designer Susana Parreira, que recebe assim um prémio de 2.000€. Como o nome indica, o projeto consiste numa plataforma que realiza uma análise interativa do design gráfico das primeiras páginas de jornais online portugueses ao longo do tempo. O trabalho recebeu ainda a menção honrosa atribuída pelo media partner Jornal Público. De acordo com a autora, a ferramenta poderá ser aplicada em investigação ou em contexto de sala de aula.

Este mesmo projeto recebeu o prémio de Menção Honrosa do nosso media partner, o jornal Público.

O que é o Premio Arquivo.pt

Com periodicidade anual o Prémio Arquivo.pt tem como objetivo fomentar aplicações práticas ou estudos completos de investigação baseados na informação acessível através do Arquivo.pt, que demonstrem a utilidade deste serviço público e a importância de preservar a informação publicada na web. 

Por essa razão, os  trabalhos podem incidir sobre temas de qualquer área (ex. Educação, História, Sociologia, Comunicação, Saúde, Informática), desde que se recorra a este serviço como principal fonte de informação. 

Para saber mais acompanhe as redes sociais (Facebook e Twitter) ou visite a página.

O que é o Arquivo.pt

O Arquivo.pt é uma infraestrutura de investigação que arquiva e preserva as páginas da web publicadas em Portugal desde 1996 e tem um serviço de pesquisa online que dá acesso a toda a informação arquivada. O principal objetivo deste serviço da unidade FCCN é a preservação da informação publicada na web para memória, estudo e investigação, com acesso aberto a toda a população.

Com ligação ao mundo da investigação ilustrada pela presença do Arquivo.pt no Registry of Research Data Repositories, plataforma utilizada por investigadores internacionais como fonte de dados abertos, este serviço tem vindo a desenvolver diversas atividades para a identificação de dados online relacionados com projetos de  Investigação & Desenvolvimento (I&D), para que sejam preservados de forma sistemática.

Recomendamos a leitura do artigo Arquivo.pt: O papel da preservação digital na ciência aberta.

Outros artigos relacionados